segunda-feira, 31 de março de 2008

A mãe de todas

O que será da mídia de Londrina quando a querida companhia telefônica celular da cidade, a Sercomtel, deixar de ser pública? A pequena, média e a grande imprensa local vivem às custas dos seus contratos publicitários. Fora isso, apenas sobreviveriam.

Globo é a menos ruim

Muita gente critica o padrão Globo de TV, questiona as suas influências ideológicas, a qualidade de seus programas no canal aberto, etc. Eu mesmo tenho muitas ressalvas.
***
Agora, como cobrar algo melhor da Vênus Platinada se ela nada praticamente sozinha no mar da televisão brasileira? Todas as outras emissoras concorrentes também têm um nível muito ruim de programação, deixa a desejar no conteúdo e na ideologia pregada. São todas uma porcaria. TODAS!
***
Se o mercado da tevê brasileira tivesse uma concorrência séria, cada uma ameaçando a outra na disputa pelo telespectador, talvez a Globo mudaria a sua postura e aí todos sairiam ganhando, inclusive nós. Mas não é o que a gente vê, literalmente.
***
Existe um comentário antigo de que se juntar todas as emissoras brasileiras não dá uma Globo.
Deve ser verdade, ou pior: se juntar todas, não se chega nem à metade de uma Globo.
***
As TVs deveriam funcionar como a “Lei de Mercado” do capitalismo (já que vivemos no capitalismo): a concorrência é que faz a diferença e a qualidade.
Mas, não. Na prática não existe concorrência.
As outras dizem que a TV do Roberto Marinho tem muito dinheiro e goza de benefícios... Ora, elas também têm dinheiro e benefícios, não fosse assim os seus donos se desfariam delas e haveria uma sucessão corriqueira de novos proprietários. A TV, na verdade, é um grande negócio no Brasil!
***
O SBT sempre foi do Sílvio Santos; a Band, da família Saad; a Record, já há algum tempo nas mãos do Edir Macedo e da sua igreja, utiliza a telinha com outros propósitos (então não conta muito); a CNT também não conta (é traço). “Rede TV!” e outras menorzinhas também seguem a mesma linha.
***
Sabe o que falta a todas elas? COMPETÊNCIA! Existe um problema crônico de gestão dentro delas – o que parece não ser problema na Globo, apesar da morte do seu patriarca.
***
É duro, doutor. Estamos feios!!!

Faltou perguntar ao Bergamin

O vereador Osvaldo Bergamin (PMDB), de Londrina, assume que paga uma assessora, por meio da Câmara Municipal, “para fazer política”. Em outras palavras, o nobre edil a usa num esquema eleitoreiro, já que “ela garante 400 votos para mim a cada eleição”.
Então, eu vou repetir: o salário dela é pago pelos cofres públicos em favor de uma benesse privada.
***
Bergamin admitiu o fato numa matéria do Marcelo Frazão, do Jornal de Londrina de hoje. O que faltou Marcelo perguntar foi justamente isso: “O senhor acha certo, vereador, pagar alguém com dinheiro público para participar de um esquema eleitoral particular?”
Ficou claro: esta assessora age para arrebanhar o tão condenado “voto de cabresto”, que releva a ignorância política e subverte a verdadeira formação política do cidadão.
***
A matéria foi interessante e, acima de tudo, importantíssima, pois continha informações preciosas para enriquecer o acervo de escândalos que impregnou o legislativo local - mas faltou esta pergunta. Uma pergunta derradeira. O leitor do JL com certeza iria agradecer.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Rato bolivariano?


Hahahahaha: não parece o Chávez na Disneylândia fantasiado de Mickey Mouse, o simpático ratinho? (E ele ainda ri...)
Muito boa essa foto do espirituoso Lula Marques, da Folha de S. Paulo, que fabricou uma imagem bem humorada para ilustrar a capa de hoje daquele poderoso matutino.
***
Não precisava tanto: o presidente venezuelano é uma piada pronta e não precisa de adereços.
Hahahahahaha!!!

Tarobá anda sisuda

Por que a apresentação do "Jornal da Tarobá" (Band), de Londrina, ficou sisuda de duas semanas para cá? Antes não era assim.
***
Gosto da apresentação do Júlio Oliveira e dos comentários do Fernando Brevilheri, mas quando o jornal termina eles não se olham e nem trocam palavras, ainda na bancada. Fica meio esquisito, parece que estão brigados.
***
Gosto muito do formato do "Jornal Hoje", da Globo. Sandra Annenberg e Evaristo Costa dão um show de dinamismo e alegria à apresentação, coisa que nem no moderadíssimo Jornal Nacional, do Bonner e da Fátima, a gente vê.

Título da Folha nada criativo

Título de uma das chamadas de capa do jornal “Folha de Londrina” de hoje: “Vedoato nega ter recebido dinheiro para doar terreno”.
***
Gente, é evidente que Flávio Vedoato, o "Peito", vai negar ter recebido propina. Recebendo ou não, ele iria insistentemente negar, por isso não achei certo este título. Faltou criatividade.
***
O vereador Flávio Vedoato, de Londrina, foi arrolado em um inquérito patrocinado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Ele e outros vereadores foram incluídos no chamado “Caso Caldarelli”, um inquérito que apura compra de votos na Câmara Municipal (recebimento de suborno) para aprovação de projeto que beneficiou o empresário Marcelo Caldarelli.
O nome de Vedoato estaria incluído na famosa lista da propina do Caldarelli.

Experiência contra a dengue

A epidemia de dengue no Rio pode ser uma boa oportunidade para os cientistas testarem determinadas armas no combate ao famoso e temido Aedes aegypti. Já existem, aqui mesmo no Brasil, experimentos nesta área, e pelo que eu já vi os resultados primários são muito animadores.
***
Então, fica aí a sugestão, inclusive para a imprensa nacional, que pode contribuir estimulando o corpo científico do país a antecipar seus trabalhos de campo. Nestas horas a mídia pode ajudar bastante.

quinta-feira, 27 de março de 2008

'Plim-plim' impõe futebol

Toda quarta-feira à noite é dia de futebol na Globo, só que a afiliada TV Coroados, de Londrina, insiste em passar os jogos do amadorístico e varzeano Campeonato Paranaense, quando do ponto de vista cultural o norte-paranaense torce para times de São Paulo.
***
Acho que a Coroados deveria respeitar a cultura do povo. Não adianta ficar insistindo em transmitir os jogos dos times da Capital quando o interesse por eles é pequeno. Segundo uma pesquisa, o povo do Norte do Paraná tem bronca das equipes curitibanas, pois são meia-boca e muito sem graça.
No Norte dá Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Flamengo e Vasco da Gama – mais ou menos nesta ordem. Só depois começa a aparecer os curitibocas.
Tamanho comprometimento futebolístico tem origem na colonização da região.
***
O que a Coroados quer? Fazer o torcedor virar casaca? Isso não existe, é lenda... É muito mais fácil o sujeito trocar de mulher do que de time do coração... É a cultura brasileira!
***
A mesma coisa acontece no Oeste do Estado, onde o torcedor prefere os times gaúchos. Também vale a questão da colonização, então, vamos respeitar.

A dengue carioca na Band

Parabéns ao “Jornal da Band” (Rede Band) de quarta-feira pela matéria em torno da epidemia de dengue no Rio de Janeiro. A reportagem comparou a crise carioca com a eficiência verificada na cidade vizinha de Niterói.
***
A Band, da bela e competente apresentadora Mariana Ferrão (foto), mostrou que enquanto o Rio vive o descontrole da doença, em Niterói a vigilância é total. Desde janeiro as autoridades de saúde niteroienses registraram 902 notificações, dos quais “apenas” 118 casos foram confirmados. Detalhe: nenhuma morte foi registrada até agora na antiga capital do Estado do Rio de Janeiro, que tem 480 mil habitantes.
***
Rio e Niterói são como irmãs siamesas, pois compartilham as mesmas características geográficas e convivem com as mesmas mazelas sociais e econômicas, o que comprova que a crise carioca é gerada por um problema de gestão administrativa municipal. Foi o que se evidenciou na matéria.
A reportagem matou a pau!

quarta-feira, 26 de março de 2008

Globo agora reconhece Pelé

Ah, bom. O pessoal do Globo Esporte deve ter levado um pito, porque hoje eles falaram novamente do clássico Santos x Corinthians mas desta vez deram um destaque especial para Pelé.
***
Segundo o apresentador Tino Marcos, nos anos 60 os dois times jogaram 22 vezes e em nenhuma o Corinthians ganhou. Foram 11 anos de invencibilidade do time peixeiro.

“Erratas” que não saem

As redações dos jornais estão cada vez mais enxutas, trabalham com poucos jornalistas. Isso efetivamente implica na falta de qualidade da informação oferecida.
***
Um dos fundamentos do bom jornalismo, por exemplo, é checar as informações recebidas ANTES de publicá-la, mas justamente por conta do quadro reduzido de profissionais muitas vezes essa verificação é deixada de lado.
Um exemplo é uma nota publicada na edição de ontem da Gazeta do Povo, de Curitiba. No informe “Exclusivo”, da coluna “Notas Políticas”, foi passado um dado para o redator da coluna, que mandou ver e publicou. O dado, porém, estava errado, e por isso o leitor comprou “gato por lebre”.
***
Uma retificação foi solicitada ao editor da coluna, mas infelizmente hoje não saiu.
Na verdade, isso não importa muito, nem que saia amanhã ou depois. É tarde de qualquer forma! (Que bom seria se os impressos não precisassem publicar “Erratas”, “Erramos” e outras retificações do gênero...)
Quem leu a edição de ontem não vai, necessariamente, ler a edição de hoje, e aí a mentira vira verdade. Uma pena!

Picaretas do jornalismo

Incrível como proliferam veículos de comunicação picaretas neste país! São jornais, rádio, TVs e até "sites" sem qualquer compromisso com a comunicação social.
Esses veículos são evidentemente dirigidos por cidadãos mal intencionados cujo fundamento precípuo é aceitar subornos dos poderosos para poderem sobreviver. É a arte da enganação e do fingimento!
***
Sem qualquer escrúpulo, os donos desses veículos cometem falsidade ideológica ao se passarem por jornalistas.
Por conta dessas e de outras, estamos sujeitos a um jornalismo (?) de baixíssima qualidade, o que compromete até os formadores de opinião.
***
Até quando estaremos sujeitos a estas verdadeiras pragas sociais?

terça-feira, 25 de março de 2008

Globo esquece Pelé

Você sabe qual o clássico futebolístico profissional mais antigo de São Paulo? Errou, não é Palmeiras x Corinthians, este é o mais rivalizado. O mais velho é Santos x Corinthians, que fará 95 anos em 22 de junho.
***
E o “Globo Esporte” (Globo) de hoje falou dos dois e do jogo entre eles amanhã, pelo Campeonato Paulista.
A propósito, o editor Tino Marcos falou da importância do clássico, mostrou a “bicicleta” do Robinho em cima do Rogério, lembrou do Diego, do gol de placa do Marcelino Carioca... mas não falou, nadica de nada, do esquadrão formado por Pelé & Cia, o maior algoz corintiano e o maior responsável pela fila de 22 anos sem título do alvinegro paulistano, que só terminou em 1977.
***
Acho que foi uma mancada para o propalado PGQ (Padrão Globo de Qualidade). Como falar de um clássico desses e não citar nada do Rei?

sábado, 22 de março de 2008

Título invertido

Estranho o título da página 3 de hoje da Gazeta do Povo, do Paraná: “Pesquisa mostra que 15% das babás têm antecedentes criminais”. Isso quer dizer que a expressiva maioria (85%) destas valorosas profissionais não tem antecedentes criminais. É um bom índice, não?
***
Qual a profissão que não tem profissional com antecedentes deste tipo? Criminosos têm em todo lugar!
***
Acho que a influente Gazeta errou no título – a não ser que queira “forçar a barra” insinuando ou suspeitando que babás têm um passado criminoso. Penso que não é o caso.
***
Na mesma matéria tem um “chapéu”, acima do título, onde se lê: “Em 28% dos casos, famílias recebem referências falsas de profissionais”. Subentende-se, pois, que também a grande maioria (72%) dão referências verdadeiras.
É outro erro do poderoso jornalão curitibano.
Cuidado com as insinuações para não inverter os valores.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Especulação eleitoral

Logo que entramos em ano eleitoral a imprensa fica ouriçada. A especulação em torno do pleito naturalmente aumenta, mas como a eleição é somente em outubro não há motivo para ficar estimulando o (e)leitor tão cedo, muito antes das definições das candidaturas, que acontece somente no final de junho com as convenções partidárias. Legalmente, as propagandas neste ano só começam dia 6 de julho.
***
Ficar comentando e estimulando intrigas apenas para vender notícia é, além de atentar contra a ética, comprometer a boa formação e a consciência do eleitor.
Depois não adianta ficar reclamando que brasileiro não sabe votar.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Pouco conhecimento faz com que as criaturas se tornem orgulhosas. Muito conhecimento, que se tornem humildes.
(Leonardo Da Vinci)

sexta-feira, 14 de março de 2008

Good news is good, yes!

Existe um ditado inventado pelo jornalismo norte-americano que expressa muito bem o preconceito e a forma até sectária de se não divulgar determinadas notícias: é o “good news, no news”, ou seja: “boas notícias não são notícias”.
***
A frase foi usada hoje pelo colega Fábio Silveira, do Jornal de Londrina, em sua coluna “Aparte”.
***
Então eu pergunto: por que, cargas d’água, as boas notícias não são notícias?
Tudo o que acontece (ou mesmo quando não acontece) é notícia sim! O que ocorre é que a sua publicação ou não fica sujeita a certos critérios.
***
O “valor” da notícia – se ela é boa ou ruim – depende de aspectos bem subjetivos e até bastante pessoais. O que não pode é um veículo de comunicação (que deveria existir para primeiramente prestar serviços públicos) censurar ou sonegar uma determinada informação apenas por que se trata de uma “boa notícia”, ou porque a sua divulgação secundariamente implicaria em promoções pessoais, políticas ou comerciais.
***
Infelizmente a sonegação de boas notícias acontece TODOS OS DIAS na mídia brasileira e mundial. Não deveria ser assim.
A “indústria da notícia”, como são conhecidos os veículos de comunicação, deveria pautar-se pelo princípio do que é importante para a comunidade. A comunidade DEVE SER informada de tudo – do que é ruim e do que é bom também. Se isso acontecesse, os veículos de comunicação estariam cumprindo fielmente com as suas responsabilidades sociais, mas não é o que vemos.
***
Até mesmo no meio político brasileiro, tão desacreditado e justamente desmoralizado, podemos encontrar ilhas de boas notícias. É uma pena que os jornais, revistas, rádios, TVs e “sites” de notícias desprezem tal importância! Se seguissem à risca o manual do bom jornalismo, estariam contribuindo sobremaneira para a tão necessária formação moral do cidadão.

segunda-feira, 10 de março de 2008

A vida é o que acontece quando estamos fazendo outros planos.
(John Lennon)

quarta-feira, 5 de março de 2008

A controvertida lista


Que coisa! E não é que uma parte da medrosa imprensa londrinense anda sonegando o nome dos nove vereadores que estão na lista do empresário Marcelo Caldarelli, que se diz achacado pelos nobres edis para a aprovação de um projeto de seu interesse?
***
Pelo que me disseram, somente os jornalistas Cláudio Osti e José Antônio Pedriali tiveram a coragem de publicá-los em seus blogs na internet, mas disseram também que mesmo assim a publicação do Osti durou apenas um dia - não sei por que cargas d’água ele a tirou do ar...
***
Alguns veículos alegam que não publicaram ainda porque a lista carece de veracidade, e que o caso ainda está sob a guarda do Ministério Público.
Mas, então, não se pode valer do tão exigido jornalismo investigativo? (Falta, na verdade, profissional de coragem.)
***
Vamos lá, gente, divulguem aí! Divulguem, mas com responsabilidade. Divulguem porque de qualquer forma isso é notícia.

PS.: Veja a listinha ali em cima.