quarta-feira, 16 de abril de 2008

Listas não cruzadas

Em Londrina, dentro da crise moral envolvendo vereadores, o Caso Henrique Barros e o Caso Caldarelli são histórias distintas, mas uma coisa eles têm em comum: os personagens. E por incrível que pareça, a imprensa local ainda não se deu conta disso e deixou de fazer a analogia dos fatos.
***
Em seu depoimento ao Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no dia 10 de janeiro, logo após a sua prisão, o ex-vereador Henrique Barros, acusado de concussão e formação de quadrilha, envolveu oito vereadores (fora ele, claro), embora inicialmente tenha sido divulgado apenas quatro.
Neste dia 15, porém, numa informação dada pelo repórter Carlos Oliveira, da Rádio Paiquerê-AM, ele citou os outros quatro. Então, temos o seguinte: Orlando Bonilha, Osvaldo Bergamin, Flávio Vedoato e Renato Araújo, da relação inicial; e Gláudio Renato de Lima, Lourival Germano, Jamil Janene e Sidney de Souza, que foram acrescentados agora. Total: oito.
***
Já na famosa lista de nomes apresentada pelo empresário Marcelo Caldarelli, num outro caso de suposto pagamento de propina, há nove vereadores: Sydney de Souza, Flávio Vedoato, Gláudio Renato de Lima, Henrique Barros, Luiz Carlos Tamarozzi, Jamil Janene, Orlando Bonilha, Renato Araújo e Osvaldo Bergamin. Total: nove.
***
Comparando uma lista com a outra, só têm dois nomes que não batem: Lourival Germano, em uma lista; e Luiz Carlos Tamarozzi, na outra. O resto são os mesmos nos dois casos - evidentemente incluindo o próprio Henrique nas duas listas.
***
Há quem aposte que Henrique Barros poderá ampliar a sua delação. O que não entendo, porém, é porque a Imprensa ainda não cruzou as duas listas...
(Pode não ser nada, mas também pode ser tudo.)

Nenhum comentário: