segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Como votaremos no domingo?

O imbróglio provocado pelo TSE em torno da candidatura “sub judice” de Antônio Belinati deixa os eleitores londrinenses com uma grande interrogação na cabeça: afinal, se votar nele, o voto vai valer? Em caso de cassação da candidatura, o terceiro colocado Barbosa Neto vai disputar o segundo turno sem fazer campanha eleitoral? Se a cassação for depois da eleição, o resultado do segundo turno fica valendo ou se realiza outro entre Hauly e Barbosa? É possível adiar a eleição para outra data até a definição do caso? Se Belinati for afastado ele pode recorrer? Se ele não for afastado a Procuradoria Geral do Estado, que assina o recurso no TSE, pode recorrer?
***
Os grandes jornais, rádios e TVs de Londrina, através de suas equipes de jornalismo, poderiam muito bem pesquisar a fundo o assunto lá mesmo no Tribunal, ou até realizar matérias especiais com pelo menos dois ou três especialistas em Direito Eleitoral. Tudo em nome do esclarecimento. Tudo em nome da cidadania.
Jornais, rádios e TVs têm estrutura e deveriam ir atrás justamente por serem veículos de comunicação de massa.
Fica aí a dica.

2 comentários:

Dário Poeta, do Vivi disse...

Se metade mais um dos votos forem votos nulos, teremos outra eleição com novos candidatos.

Marcelino disse...

Não, Dário. Esta informação não procede. A lei é bem clara: o vencedor da eleição é aquele que atingir a maioria dos votos válidos, onde evidentemente não entram os brancos, nulos e abstenções.