terça-feira, 21 de outubro de 2008

Quem é o dito cujo?

Hoje, a coluna política “Informe Folha”, da Folha de Londrina, dá quatro notas a respeito do padre César Braga, da Paróquia Sagrados Corações (Centro da cidade), que na homilia do último sábado teria dito que quem usa adesivo de campanha de um determinado candidato, “não é cristão”.
***
Ainda segundo a nota do jornal, o padre disse o número deste candidato, e antes mesmo de acabar a missa correligionários do adversário do mesmo distribuíram aos fiéis material de campanha do seu candidato preferido.
***
O que eu gostaria de saber é por que a Folha não disse qual era o candidato do padre e quem era o candidato condenado, afinal, se o padre tornou o nome público dentro da igreja, porque um jornal não pode?
***
Se o caso acontecesse nos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro, a grande imprensa não pensaria duas vezes em dizer quem é o dito cujo.
Nossa imprensa, infelizmente, ainda continua com estigma de pequenez.
***
Em tempo: o candidato do padre é o Hauly, e o candidato condenado é o Belinati, claro!

Um comentário:

Toninho disse...

Se fosse nos States então... hummm