domingo, 14 de dezembro de 2008

A pauta se repete. De novo

Interessante como as pautas são repetitivas. Entra ano e sai ano o jornalismo light parece que pega o calendário de eventos do final do ano anterior e repete no ano em curso.
***
Quando chaga dezembro, as colunas sociais e programas de variedades da TV abrem bastante espaço para as festas de confraternização, para as festas da alta sociedade e, invariavelmente, publicam os nomes das empresas e pessoas que lhes mandaram cartão de boas-festas. Muitos interesseiros já perceberam isso e, deliberadamente, mandam um cartãozinho só pra depois ver o seu nome no jornal.
Os articulistas da área também aproveitam e publicam as expectativas para o Ano Novo de alguns colunáveis famosos. Mas também já vi pais-de-santo dando entrevistas...
***
Nos cadernos culturais não é diferente. Quem já não viu, por exemplo, a realização dos especiais de verão, com jornalistas cobrindo as praias “ao vivo” para a TV ou publicando páginas inteiras nos jornais com notícias e serviços oferecidos em algumas cidades litorâneas? (A pergunta: muita gente lê jornal durante as férias?)
***
Outro go over de pauta acontece no jornalismo esportivo. Quando entramos no último mês do ano, os repórteres e editores usam seu espaço principalmente para especular as contratações e dispensas de jogadores dos grandes times de futebol. Eles passam dezembro e janeiro fazendo isso, e evidentemente contam com os bons préstimos das agências de notícias.
Esta época do ano, aliás, é a oportunidade que o esporte amador encontra mais espaços na mídia, já que os campeonatos profissionais estão de “férias”.
***
Por outro lado, quem normalmente não consegue muito espaço e tem pouca especulação em dezembro e janeiro é o esporte profissional de segunda linha. (No jornalismo esportivo brasileiro, esporte de segunda linha são todas as modalidades que existem, menos o futebol). Também, pudera: o jornalismo tupiniquim segue a nossa tendência cultural, onde o futebol tem raiz profunda e os outros... não têm nada.
O que sobra para os esportes secundários (basquete, vôlei, handebol, etc.) nas pautas de verão? São especulações sobre se os times vão se manter para o próximo ano, se os salários dos jogadores estão atrasados, se haverá patrocínio, se a empresa mantenedora da equipe vai continuar, etc...
No caso de Londrina, a grande expectativa de algumas dessas equipes é se haverá ou continuará o patrocínio da por enquanto poderosa e rica Sercomtel, empresa pública que dedica grandes somas em patrocínios e publicidade. Aliás, este é o setor mais badalado e visado dentro da companhia.
***
E ainda tem o “Tubarão”, o romântico time do Londrina Esporte Clube. Este merece um capítulo à parte.
Assim como todo o mundo cria expectativas para o ano novo, o LEC e seus espectadores também criam as suas. É um círculo vicioso que envolve, claro, a pauta da apaixonada crônica esportiva da cidade.
***
Pois, é: 2008 está chegando ao fim e 2009 está aí, e evidentemente já entramos na onda das “re-pautas”...
Mas, peraí: as coisas podem mudar nas redações neste ano novo, pelo menos em Londrina e em uns poucos municípios brasileiros onde deverão haver novas eleições na política.
Ops! Por obra e graça do TSE, o marasmo de começo de ano deverá ser quebrado. Menos mal.
Obrigado, TSE. (?!)

3 comentários:

Nereu Ferreira disse...

Parece aquela sessão da tarde da Globo o "Vale a pena ver de novo".
É isso mesmo marcelino. Parabens

Bianca disse...

Concordo contigo. E quais seriam as suas sugestões para melhorar a qualidade das matérias, das pautas... dos jornais?

Bianca

Marcelino disse...

Cara Bianca, seguem algumas sugestões:
Abrir mais espaços para as necessidades das comunidades carentes; ampliar as matérias de prestação de serviços; intensificar a produção de especiais de real interesse da comunidade (raio-x de uma determinada região ou bairro, por exemplo); divulgar curiosidades culturais dos municípios do Estado; ampliar as páginas culturais e, acima de tudo, aumentar o espaço dos noticiários locais.
São “algumas” sugestões.