segunda-feira, 2 de março de 2009

Tempo de reconhecer

Na edição de domingo do Jornal de Londrina, o conceituado cientista político Mário Sérgio Lepre coloca que a boa popularidade do prefeito interino Padre Roque é fruto da sua comparação com o desgastado governo Nedson: “Ele vem dando atenção aos pequenos problemas, modificando aspectos da cidade que estavam feios (mato alto, buracos nas ruas). Não dar atenção a isso foi o grande erro de Nedson, que negligenciou em coisas que seriam simples de resolver”.
***
Em março, o interino atingiu 69,09% de aprovação entre os londrinenses, segundo a sondagem da Paraná Pesquisas, de Curitiba, cujo resultado foi abordado pelo Jornal no domingo.
***
Jornalistas do próprio JL, assim como da Folha de Londrina e da Rádio Brasil Sul, com quem estive conversando, também concordam com Lepre. E é verdade mesmo, mas “em parte”. Digo “em parte” porque afirmar pura e simplesmente que o bom desempenho do atual prefeito é resultado direto da comparação com a finada administração petista é relativo e é ser simplista demais. Pior, é desmerecer o esforço do Roque e de sua equipe.
***
O vereador Padre Roque não fez campanha para prefeito e, portanto, não assumiu compromissos ou promessas nesse sentido para o seu eleitorado. Logo, poderia sentar na cadeira de alcaide e simplesmente esperar o tempo passar até a posse do prefeito de fato, que deve acontecer em maio. Poderia ficar sem fazer nada e simplesmente esperar “pingar” o seu salário no final do mês, só isso. Mas, não: está agindo nos “pequenos problemas”, como diz o Lepre, e isso – e só por isso – já mereceria crédito, independentemente do Nedson.
***
Quando o Cheida prefeito deixou o cargo, no final de 1996, o triprefeito Belinati não chegou a ter esses 69% nos primeiros três meses de mandato. Ele foi atingir esse índice (ou mais) em meados de 1998, antes do caso Ama-Comurb. Quando Nedson assumiu no lugar do Jorge Scaff, em 2001, também não conseguiu este índice.
Então, não vamos desmerecer o padre. Vamos reconhecer o seu papel e o papel de sua equipe, e esperar que não nos decepcionem até o final do mandato.
***
PS: O Jornal de Londrina havia publicado uma matéria com o Lepre em cima do levantamento da Paraná Pesquisa, mas faltou o Jornal mostrar que em janeiro o mesmo instituto fez a primeira pesquisa do gênero, e, na ocasião, a Administração Roque tinha 59,12% de aprovação. Quer dizer: com Nedson e sem Nedson, com cargos comissionados e sem cargos comissionados, a imagem de sua gestão melhorou 10%.

Nenhum comentário: