sábado, 20 de junho de 2009

Muricy volta para o São Paulo

Isso mesmo. Ele saiu, mas um dia volta. Quer apostar?

Muricy Ramalho, 54 anos, um dos mais bem sucedidos técnicos brasileiros, é daqueles que têm a sua imagem profissional lincada com a imagem da empresa em que trabalha – no caso, o São Paulo. É como o Luxemburgo no Palmeiras. É como o Joel Santana no Flamengo (ele voltará), é como o Zagallo e a Seleção.

É como o Lula e o PT.
É como o Agajan e o Belinati.

É como o Gugu e o SBT (aliás, ele pode ir para a Record). É como o Galvão Bueno, o Cid Moreira e o Tarcísio Meira na Globo. E por aí, vai. Não dá para dissociar uma imagem da outra.
***
Anote aí, crônica esportiva: o que está acontecendo no time do São Paulo é simplesmente uma ação de marketing para “descansar a marca” do idolatrado treinador – tanto é que dizem que os dois já trocaram juras de amor eterno... Muricy já foi jogador do tricolor nos anos 70.
Ele vai, mas ele volta. Vou chutar: não passa de dois anos.
***
No meio artístico – e técnico de futebol também é artista, por que não? –, é comum o “descanso da imagem”. Vai acontecer, por exemplo, com “o aprendiz” Roberto Justus, que está trocando a Record pelo SBT. A mudança deve acontecer ainda este mês, mas o publicitário-apresentador só entrará em cena na nova casa no final de agosto ou começo de setembro. Normal.
***
Mas vamos voltar ao futebol.
Outro treinador que está em vias de deixar a casa amada é o Wanderley Luxemburgo. Mais umas derrotinhas do Palmeiras no Brasileirão e ele cai fora, porque já tem o precedente da recente eliminação da Libertadores.
Ele irá, mas ele voltará.
***
Luxa vai descansar a imagem fora do Verdão – onde é sócio remido e foi até homenageado. Só terá que tomar um pouco de cuidado porque a sombra do Felipão anda rondando o Parque.
Scolari é outro que carimbou a sua imagem no time, e é tão venerado que carimbou também o Grêmio. Aliás, Celso Roth e o Grêmio também tem tudo a ver...
***
Mano Menezes também começa a impregnar a sua imagem no Corinthians. Pela boa fase do time, deve aguentar mais uns dois anos. Quando o time começar a natural descendência, será a hora de sair.
Ele irá, mas ele voltará.
***
No futebol profissional, o ciclo dos bons treinadores nunca acaba. As portas estão sempre abertas.
***
Então, caros são-paulinos, nada de fraquejar como bambis. CORAGEM! Não chorem.
Muricy vai, mas Muricy volta. Quer apostar?

3 comentários:

Rogério Fischer disse...

Gostei da leitura que fizeste sobre a saída do Muricy. Não conhecia o tal "descanso de imagem". Agora sei que ele explica muita coisa. Você deu muitos exemplos, quero acrescentar um: Osvaldo Brandão, por ter ficado marcado em dois clubes, sim, como Felipão, mas dois clubes arquirrivais, Palmeiras e Corinthians. Grande abraço.

Marcelino disse...

É verdade..., tinha o saudoso Osvaldo Brandão. Era outro que descansava a imagem e sempre voltava. E bem.
Grato pela mensagem.

PS. Será que o Lula quer "descansar a imagem" 4 anos para depois tentar voltar? A Dilma seria o seu "universo espelho"? Ou será que ele não quer descansar nada? hummm

Marco Antônio Strianni disse...

Descansar a marca é um procedimento de marketing interessante. Na prática, é uma ferramenta utilizada para evitar ou acabar com o desgaste natural da imagem. Dá-se um tempo e depois volta "limpo". É isso.