quinta-feira, 16 de julho de 2009

GRIPE SUÍNA / O Leitor Escreve

O Sr. Mário Jorge (não sei quem é) espalhou um e-mail com o teor abaixo. Não sei se os dados são verdadeiros - pode ser que sim, pode ser que não, mas isto não vem ao caso.
***
Penso que, mentira ou não, o texto pode ajudar a abrir as nossas cabeças, ajuda a refletirmos sobre este tema da gripe suína, que assola o mundo menos pela pandemia e mais pela paranoia.
***
Há farto material sobre o assunto na mídia diária. Junte tudo, mais este aqui, e pense, troque ideias com os amigos e familiares.
***
O texto eu reeditei, tirei nomes de empresas, de indústria farmacêutica, de ex-governantes para não estimular intrigas e conspirações. Não é o caso também. O que importa é a essência, o contexto abordado:


PANDEMIA... DE LUCRO...

No mundo, todos os anos morrem dois milhões de pessoas vítimas da malária, que poderia ser prevenida com um simples mosquiteiro. E os jornalistas não dizem nada disso.

No mundo, todos os anos dois milhões de meninos e meninas morrem de diarréia que poderia ser tratada com um soro oral de 25 centavos. E os jornalistas não dizem nada disso.

Sarampo, pneumonia, doenças curáveis com vacinas baratas causam a morte de dez milhões de pessoas no mundo todos os anos. E essas notícias não são divulgadas.

Mas há alguns anos, quando a gripe aviária surgiu, inundaram o mundo de notícias, sinais de alarme. Uma epidemia, a mais perigosa de todas! Uma pan demia! Só foi falado da terrível doença das galinhas...

Porém, o influenza causou a morte de 250 pessoas em todo o mundo. 250 mortos durante 10 anos, para o qual dá uma média de 25 vítimas ano.

A gripe comum mata meio milhão de pessoas todos os anos no mundo. Meio milhão contra 25. Um momento. Então, por quê se armou tanto escândalo com a gripe aviária? Está claro. Porque atrás dessas galinhas havia um "galo", um galo de espora grande. Um laboratório farmacêutico com o seu famoso remédio, vendendo milhões de doses aos países asiáticos.

Embora o tal remédio é de efetividade duvidosa, o governo britânico comprou 14 milhões de doses para prevenir a população deles.


Com a gripe aviária, duas grandes companhias farmacêuticas que vendem esses antivirais obtiveram milhões de dólares de ganância.

Antes com as galinhas e agora com os porcos. Sim, agora a psicose começou com a gripe suína. E os jornalistas do mundo só falam disto.

Eu desejo saber: se atrás das galinhas havia um "galo", atrás desses porcos não haverá um "grande porco"?

Porque indubitavelmente são as multinacionais poderosas que vendem os remédios supostamente milagrosos. E a quanto eles vendem o "milagroso" remédio? 50 dólares a caixa. 50 dólares uma caixa de pastilhas? Que negocião!

Uma companhia norte americana patenteou o tal remédio. O acionista principal desta companhia é um personagem sinistro que já pertenceu ao governo americano.

Os acionistas desses grupos estão se dando as mãos, felizes com as vendas milionárias do duvidoso remédio.

A verdadeira pandemia é o lucro, a enorme ganância destes mercenários da saúde. Se a gripe suína é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios de comunicação, se para a Organização Mundial da Saúde (OMS) ela preocupa tanto, por quê não declara isto como um problema de saúde pública mundial e autoriza a fabricação de medicamentos genéricos para a combater?

Mário Jorge

Nenhum comentário: