quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Notícia que não foi notícia

Precisou uma cidadã do Cinco Conjuntos dar um “pito” geral para que os grandes veículos de comunicação corressem atrás da notícia.
Tudo começou segunda-feira de manhã, dia em que um órgão da prefeitura de Londrina foi assaltado e nada havia sido noticiado até o dia seguinte.
Veja a carta que recebemos e que já foi lida ontem em rádios e até na blogosfera local:

Por que ninguém da imprensa londrinense noticiou nesta segunda-feira, dia 5/10, o assalto à mão armada que aconteceu no Centro de Referência de Assistência Social da Zona Oeste, que fica no Jardim Avelino Vieira? O fato aconteceu por volta das 11:30 e os dois assaltantes, encapuzados e armados com pistolas, renderam cerca de 10 funcionários da unidade, trancaram todos no banheiro, cortaram os fios telefônicos, roubaram os pertences pessoais, celulares particulares e dinheiro, além de computadores, máquinas, telefones e outros objetos do local – quer dizer: objetos “públicos”, da Prefeitura e da Secretaria de Assistência Social.

Uma das funcionárias também teve o seu carro roubado.

Por sorte, os bandidos não fizeram nada pior fisicamente contra as vítimas, a grande maioria, mulheres. Digo “fisicamente” porque o ato do assalto, por si só, já é uma agressão moral e psicológica. Com certeza todos ali ficaram aflitos e sofreram traumas qu e certamente marcarão o resto das suas vidas.

E nada de a imprensa falar... o que é intrigante, porque eu soube que o fato foi registrado na delegacia.

Seria importante a participação da imprensa porque a comunicação de massa pode ajudar a polícia a identificar os meliantes, que são oriundos de um assentamento localizado ali perto.

O que me deixa mais triste, porém, é o comportamento amedrontado da comunidade do entorno daquele CRAS, que, segundo dizem, é atendida o dia todo com simpatia e atenção, mas que mesmo assim não retribuiu chamando a polícia no momento do ato.

Muitas vezes a unidade fica lotada de gente, mas “estranhamente”, talvez até por cumplicidade, ninguém daquela comunidade apareceu por lá nos 30 minutos do assalto. Ninguém, nem um que fosse!

Sou vizinha e muito amiga de uma funcionária de um outro CRAS, e por isso soube de detalhes desta história hoje à tarde. Ela mesmo, que não passou por isso, ficou assustada pela ousadia dos ladrões e sentiu muito pelo sofrimento das colegas, por isso estou relatando a vocês o acontecido. Fiquei indignada, acho que o ocorrido não pode passar em branco.

Senhoras autoridades: aquele local, assim como as outras unidades de atendimento social da cidade, precisam de segurança URGENTE! Estes postos dos CRAS não têm nenhum segurança, os funcionários ficam a mercê dos bandidos, trabalham amedrontados e não têm qualquer apoio em segurança e em infra-estrutura. Será que a Guarda Municipal vai resolver?

Por favor, vocês das rádios, jornais e tevês, ajudem divulgando e chamando a atenção das autoridades!

Muito Grata,

Maria Aparecida Cardoso, microempresária, moradora do Vivi Xavier.

Nenhum comentário: