domingo, 18 de julho de 2010

Uma paradinha

Gente, vou ter que dar uma parada com o blogue, não sei por quanto tempo, mas não deverá ser por pouco.
Estamos estudando ampliar as nossas atividades profissionais e isso é importante - acho que você entende, né? Neste caso, terei que usar o tempo que gasto aqui.
Mas não quero dar adeus. Quem sabe daqui a pouco a gente aparece.
Abraços e sucesso!!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

domingo, 11 de julho de 2010

O polvo Paul

Nooossa. Que jogo complicado é este do final de Copa. Acho que teremos que chamar o polvo Paul pra decidir. A previsão ele já fez e tinha dado a Espanha.
***
O polvo profeta foi uma das poucas boas surpresas desta Copa.

sábado, 10 de julho de 2010

A vida é o que acontece quando estamos fazendo outros planos.

John Lennon

HORA DO RECREIO

video

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Como recuperar uma imagem perdida (2)

O caso do goleiro Bruno, do Flamengo, também é outro que mereceria uma tese acadêmica, assim como o caso do padre Sílvio Andrei, que já abordamos aqui.
***
O dilema do goleiro deveria ser um tema palpitante para futuros profissionais de comunicação ou de marketing.
Como resgatar a boa imagem que foi perdida? É a pergunta.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Bola fora de jornalistas

Não concordo com os jornalistas que criticam o brasileiro pela sua paixão pelo futebol. Falam mal, dizem que as pessoas não deveriam dar tanta bola assim, que deveriam ser como os argentinos, que mesmo com a sua seleção desclassificada fizeram uma recepção honrada no retorno dos jogadores.
***
Eu já acho o contrário. Futebol no Brasil, diferente da Argentina e do resto do mundo, é uma instituição profundamente enraizada na sua cultura, então devemos respeitar e aceitar, e sempre procurar alimentar esta relação.
***
Muita gente critica o fato de o brasileiro exigir muito da Seleção, dos seus jogadores e da comissão técnica, que isso não acontece em outros lugares, etc. e tal... Quanta bobagem!!
Tem que cobrar sim, e cobrar muito! Primeiro porque eles ganham muito bem para fazerem o que fazem; segundo, porque eles são os responsáveis pela nossa paixão. Somos, afinal, uma pátria de chuteiras.
***
O brasileiro, meu caro, é exigente e está certo. É por isso que somos os únicos com cinco estrelas no peito.

Dunga por Mano

Não deu para Dunga. Infelizmente. A pressão da mídia e dos passionais torcedores o derrubou.
Agora vou torcer para que dê Mano Menezes como o novo comandante. O técnico corintiano já provou a sua capacidade, inclusive uma característica importante para treinadores de seleções: é copeiro.
***
Para ganhar uma Copa do Mundo qualquer treinador tem que ser bom em jogos mata-mata. Técnicos especialistas em campeonatos de pontos corridos não valem muita coisa nessas horas.
***
Então, vamos lá Manooo!!
(Não vou torcer pelo Felipão porque eu o prefiro no meu time, o Palmeiras. rsrs)

domingo, 4 de julho de 2010

HORA DO RECREIO

video

sábado, 3 de julho de 2010

Torcedor contraditório

Veja como o torcedor de futebol é passional e extremamente emotivo: na edição de ontem do dia do jogo do Brasil contra a Holanda, a “Folha de S. Paulo” publicou uma pesquisa do “Datafolha” mostrando que o brasileiro dava 69% de aprovação para o Dunga.
Ontem à noite mesmo, já com as confirmações da derrota e da desclassificação brasileira da Copa, as enquetes dos principais jornais e blogues do país defenestravam o técnico.
***
Tá certo que enquetes do gênero não têm valor científico, mas mostra certa tendência. Aposto que se fizerem uma pesquisa agora os resultados serão comprobatórios e invertidos. Na Folha de hoje o próprio editorial do jornal alerta: “O índice [da pesquisa do Datafolha], obviamente, já terá sido a esta altura volatilizado pelos fatos.”
***
O torcedor brasileiro é moleque por natureza. Opiniões contraditórias são parte inerente de quem não entende as razões do futebol...

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Por que o Brasil perdeu

Depois da desclassificação, ocorrida hoje no começo da tarde, vai começar a caça às bruxas. Com certeza o Dunga será defenestrado e levará toda a culpa, e a imprensa esportiva terá motivos de sobra para criticá-lo, especialmente a Globo.
***
Já começo a ver os cronistas esportivos brasileiros procurando os motivos da derrota nos seus programas noturnos...
***
Eu assisti ao jogo e, com todo o respeito ao bom futebol da Holanda, acho que o Brasil perdeu para si mesmo. Basta ver o que aconteceu no primeiro tempo da partida.
***
Para ganhar um jogo ou um campeonato, todo time tem que estar equilibrado num tripé inviolável: o condicionamento físico, o condicionamento técnico e o condicionamento psicológico.
***
Dunga – para quem eu torço para continuar na Seleção – preparou muito bem a equipe nos condicionamentos físicos e técnicos, mas falhou no psicológico. O tripé ficou capenga e a nossa Seleção deu adeus!
***
Ao longo da Copa percebemos que o Brasil estava bem preparado fisicamente. Poderia suportar mais de 90 minutos de jogo, em qualquer jogo. Também sentimos que a qualidade técnica estava evoluindo partida após partida, com os jogadores se soltando mais e absorvendo o esquema tático traçado.
Não era a seleção dos sonhos dos brasileiros, é verdade, mas era um time pragmático, de resultados, que é o que importa para se ganhar um torneio de apenas sete partidas.
***
O problema foi, mesmo, o aspecto emocional. A nossa seleção não estava preparada, em nenhum momento, para começar o jogo ganhando e sofrer a virada. Não estava. O erro foi aí.
O time fez um primeiro tempo primoroso, mas aos seis minutos do segundo tempo tomou um gol bobo. A derrota aconteceu aí, no gol contra do empate holandês. Com isso, o condicionamento psicológico dos jogadores foi a zero, o emocional ficou abalado e o moral da equipe foi rebaixado. O time entrou em depressão em poucos minutos. O gol da virada do adversário e a expulsão do Felipe Melo foram meras consequências.
***
Que o importante condicionamento psicológico sirva de lição para as próximas copas, especialmente para daqui quatro anos. Justamente por ser no Brasil, a Copa de 2014 jogará uma carga emocional muito grande nas costas da nossa seleção, que deverá suportar – e vencer – as inúmeras pressões dos apaixonados brasileiros.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Você fica eternamente responsável pelo que cativa.

Antoine de Saint-Exupèry

terça-feira, 29 de junho de 2010

HORA DO RECREIO

video

E aí, Felipe?

A Globo não fala, nem o Galvão e o Reginaldo Leme, mas o que acontece com o nosso Felipe Massa? Tá certo que a Ferrari não está tão brilhante este ano, mas o seu companheiro de equipe, o espanhol Fernando Alonso, anda muito mais competitivo.
***
Teria o brasileiro perdido um pouco da coragem depois do grave acidente que sofreu no ano passado?
Eu, que gosto de assistir às corridas, começo a desanimar...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Política & trabalho

Não sei não, tenho a impressão de que a imprensa e os jornalistas setoristas em política terão muito trabalho este ano no Paraná e no Brasil.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Humm... estão muito insidiosos os jornalecos que muito se proliferam em ano eleitoral...

sábado, 19 de junho de 2010

HORA DO RECREIO

video

domingo, 30 de maio de 2010

Uma ideia é um pensamento que ficou de pé.

Henri Bergson

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Na vida comum seremos sucedidos. Com coragem, seremos bem-sucedidos.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

HORA DO RECREIO

video

Como recuperar uma imagem perdida?

Todo mundo vive acima ou abaixo da linha que divide o bem e o mal, do prestígio público e do rebaixamento moral. Quando uma pessoa está bem acima da linha e, da noite para o dia, cai lá para baixo, é porque as suas relações e os conceitos sociais foram terminantemente abalados. É o que aconteceu recentemente em Londrina com o conhecido e então prestigiado Padre Sílvio Andrei.
***
O Caso Sílvio Andrei deve tornar-se emblemático. Poderá virar tese de mestrado e doutorado nos bancos escolares, talvez nos cursos de psicologia, sociologia, comunicação, marketing, por aí.
Seria uma grande oportunidade para os acadêmicos experimentarem uma lição valiosíssima: como recuperar integralmente a imagem pública de uma pessoa cujo caráter, então ilibado, foi posto em xeque?
***
É uma pergunta interessante. É possível recuperar a imagem considerando o contexto dos fatos e a perplexidade pública que deste afloraram? Acredito que, em tese, sim, mas somente através da execução de um trabalho de longuíssimo prazo.
***
Não sei como, mas talvez primeiramente e mais importante seria o padre reunir um grupo de pessoas de alto nível para formar o que modernamente é conhecido por “gabinete de crise”. Este grupo teria pessoas do seu círculo pessoal e de confiança, mas também seria recheado por profissionais gabaritados e de competência reconhecida de diversas áreas, mas principalmente nas especialidades de comunicação, marketing, publicidade, relações públicas e psicologia social.
***
Esta equipe estudaria o caso profundamente e elaboraria uma estratégia de ação para ser executada dentro de um cronograma preestabelecido, de forma que, quem sabe, a imagem pública do padre fosse restaurada aos poucos.
***
Isso tudo aí em cima é uma ideia, apenas. Não sei se é por aí. Fica, então, a sugestão para que o caso seja debatido e trabalhado academicamente nas faculdades e universidades. É o local apropriado.
Do estudo e do trabalho de campo, pode derivar uma boa contribuição para a sociedade e, principalmente, para o padre. Todos ganham.

sábado, 15 de maio de 2010

Cuidado com pesquisas fajutas

A campanha eleitoral está chegando e, junto, vem a proliferação dos pseudoinstitutos de pesquisa. O que há de malandragem neste meio é de arrepiar, principalmente em cidades de pequeno e médio porte.
***
Estou falando de “institutos” versão 2010, que surgem da noite para o dia, que se "propoem" a fazer basicamente pesquisas internas, sem divulgação em mídia, apenas para o consumo pessoal de alguns partidos e dos postulantes a uma candidatura.
***
Muita gente quer faturar de maneira ilícita e, principalmente, imoral. Sabotam os números sem qualquer parâmetro e de forma promíscua e antiética. Nem o básico fazem, que é sair a campo para as entrevistas – aliás, jamais fariam isso porque seria a parte da pesquisa que mais custaria.
***
Esses institutozinhos agem assim porque sabem que seus "clientes" se constrangem e não vão lhes pedir atestado comprobatório, e os números, quaisquer que sejam eles, são perfeitamente manipuláveis e justificáveis.

Coitados dos pré-candidatos debutantes, ingênuos e bem intencionados! Coitados e, CUIDADO!!!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Terceirização
rima com
corrupção?

quinta-feira, 13 de maio de 2010

HORA DO RECREIO

video

terça-feira, 11 de maio de 2010

Quem são eles?

A curiosidade do londrinense anda muito aguçada. Ele quer saber quem são as 11 pessoas detidas até agora pela Polícia Federal no caso CIAP.
Cartas são enviadas aos jornais e recadinhos, aos programas jornalísticos das rádios. Todos querendo saber quem são.
***
Acho que esta é uma boa hora para os jornalistas londrinenses qualificados praticarem o jornalismo investigativo, afinal, o processo da PF não corre em segredo de justiça e, até onde eu sei, ainda que eles estejam em prisão temporária ou provisória, nada impede a competência jornalística – desde que se atenham aos fatos, claro!
Furo de reportagem é furo de reportagem.

Nada de Ganso, Neymar, Adriano...

Engraçado como funciona o lobby futebolístico no Brasil. A imprensa paulista, que influencia boa parte do território nacional, fazia força pela convocação dos santistas Ganso e Neymar. Já a crônica carioca, que alcança outra parte do nosso território, jogava as fichas no flamenguista Adriano. E os jornalistas gaúchos e mineiros, que influenciam o restante do país – uma pequena parte, é verdade –, não se entendiam porque o que vale mais, nessas horas, é a rixa local.
***
Não vingou, porém, a pressão de nenhum dos jornalistas regionalizados. Dunga não chamou nenhum dos três, e muito menos o baladeiro Ronaldinho Gaúcho. Nem o Alexandre Pato. Preferiu o futebol de resultados, montou uma seleção pragmática, sem craaaques.
***
Concordo com a seguinte tese: o que vale numa Copa do Mundo (um torneio de tiro curto, de apenas sete partidas), é mais resultado e menos beleza. Vale o título, não os shows dos Meninos da Vila. Mais vale trazer o hexa do que fazer seis belíssimas partidas e perder a última.
***
Agora, é torcer pela nossa Seleção. E, sinceramente, acho que temos boas perspectivas. Esse mesmo time, que tem 20 “estrangeiros” e três nacionais (Gilberto, Kleberson e Robinho), é a mesma seleção globalizada e vitoriosa da Copa América e da Copa das Confederações. Sua base, aliás, é a que classificou o Brasil nas Eliminatórias com três rodadas de antecedência. Quer dizer, são homens competentes e experientes em jogos internacionais.
Chance, temos.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas.

Thomas Cray

HORA DO RECREIO

video

domingo, 9 de maio de 2010

A dengue das autoridades

A imprensa cobra demais da comunidade quando se trata do controle e da prevenção contra a dengue, mas pouco cobra das autoridades, que não cumprem a sua parte quando se trata de deixar limpos os seus próprios imóveis. Um exemplo é o imenso terreno abandonado de 13.627 metros quadrados da Aeronáutica que existe ali perto do HU e da Apae, em Londrina.
***
Há mais de um ano o terreno não é limpo, nem por dentro e nem por fora. Aliás, o mato já tomou a calçada e agora avança pela rua.
Lá existem algumas ruínas do antigo matadouro municipal e uma caixa d’água abandonada de mais de 50 anos, que ainda está de pé, inclusive oferecendo riscos de desabar. A caixa tem uma parte aberta em cima e, com certeza, acumula água de chuva, parada, para a proliferação do mosquito Aedes aegypti.
***
Colegas, vamos pegar no pé das autoridades também!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Vereador negou. Claro que negou!

Ainda não vi os jornais de amanhã e os noticiários das TVs e das rádios sobre a coletiva de hoje do vereador londrinense Jacks Dias a respeito das novas denúncias, agora envolvendo-o no caso da Centronic. Mas pelos blogues que vi agorinha, chamou-me a atenção alguns títulos: “Jacks Dias diz que não recebeu propina”, “Jacks negou”, “Vereador diz que não recebeu nada”, “Jacks nega”... e coisas do gênero.
***
É obvio que ele negaria a participação no caso, não poderia ser diferente. Também duvido que ele chamaria uma coletiva de imprensa para confirmar que participou do suposto rolo. (Nada contra o Jacks, estou usando o caso dele porque é o mais recente escândalo londrinense. A minha opinião vale para todos os envolvidos em suspeição.)
***
Portanto, duvido que um dia aparecerá algum acusado, qualquer que seja ele, chamando uma coletiva para admitir a sua participação em algum esquema fraudulento de forma que renda títulos de matérias mais chamativos. Os títulos destes blogues, pois, poderiam ser mais criativos e interessantes.
Vamos ver, agora, a linha das chamadas que será adotada pelas rádios, TVs e jornais.

Vale uma reflexão

"Chupado" sem constrangimento do blogue do Pedriali. Achei legal e por isso resolvi compartilhar com você:


Uma revolução no jornalismo

Ethevaldo Siqueira

A internet está criando um novo jornalismo. A cada dia me convenço mais da importância da web como nova e poderosa alavanca do debate de assuntos políticos e de grandes temas nacionais. Tudo que escrevemos está sujeito ao debate, à correção e à contestação pelos leitores, à ampliação de seus horizontes ou à confirmação de sua procedência. Isso é extremamente positivo e salutar.

Não tenho dúvida em afirmar que a internet está criando uma espécie de escola de democracia. Esse é o grande papel educativo que o novo jornalismo eletrônico começa a desempenhar, não mais como mídia unidirecional e, sim, interativa, com a participação do leitor ou internauta.

Jornalistas e leitores aprendem a dialogar, com uma frequência que não existia no passado. Mas, como tudo na vida, esse novo ambiente tem duas faces. A positiva e altamente benéfica que destacamos logo de início – como fórum permanente de debates, formador de uma nova consciência democrática. A negativa, decorrente do despreparo de muitos e do patrulhamento das tropas de choque que querem dar a impressão de que a grande maioria da população defende suas teses. Por sorte, a face negativa não se sustenta e acaba sendo desmoralizada.

Outro problema ainda a superar é a linguagem de palanque que domina boa parcela dos comentários, bem como a tática muito comum de atacar o interlocutor, em lugar de refutar seus argumentos. Isso sem incluir os comentários que, por sua linguagem chula, ofensiva e impublicável, são simplesmente deletados.

Não tenho dúvida que, com o tempo, com uma experiência mais longa neste novo meio de comunicação altamente interativa, todos os jornalistas aprenderão a dialogar com seus leitores, não apenas publicando seus comentários, mas respondendo, na medida do possível, a todas as suas indagações.

Isso ainda não acontece em todos os veículos. Na verdade, nós, jornalistas e leitores, ainda temos muito dos condicionamentos e deformações do jornalismo do passado. Não duvido, entretanto, que já estamos avançando com uma rapidez impressionante.

Outra falha do passado era a atitude de alguns colunistas e editorialistas que se comportavam como verdadeiros donos da verdade e pareciam simplesmente ignorar a opinião dos leitores. Hoje tudo tende a ser diferente, com a ampliação do número de portais dos grandes jornais, revistas, emissoras de rádio e TV e a proliferação dos blogs. Com a abertura de espaços cada dia maiores à grande massa de leitores, caem os mitos, as ideias preconcebidas, os estereótipos maliciosos sobre a imprensa e sua função social. Até porque nenhum jornal ou revista eletrônica sobreviverá sem essa abertura.

Como colunista e bloguista, tenho tentado responder a todos os comentários respeitosos que recebo e, em especial, a todas contestações ao conteúdo do que escrevo. Fico feliz porque a grande maioria dos comentários que me chegam, favoráveis ou contra, são enriquecedores do debate. Outros, nem tanto. Outros ainda totalmente inadequados, porque fogem ao cerne da questão e investem contra o interlocutor, o veículo ou sua suposta desonestidade intelectual.

Reitero minha afirmativa: sou otimista. E, tenho certeza, no futuro, tudo será muito melhor. Leitores e jornalistas, nos próximos anos, serão muito mais interativos, mais respeitosos, mais complementares, mais cidadãos, mais comprometidos com a verdade e menos suscetíveis de posições apaixonadas e radicais.

Que acha você, internauta, destas minhas opiniões?

Ethevaldo Siqueira, de estadao.com.br

terça-feira, 4 de maio de 2010

HORA DO RECREIO

video

sábado, 1 de maio de 2010

BBB pernicioso no futebol

O futebol brasileiro já foi romântico. Hoje, não mais. Com tantas câmeras de vídeo espalhadas pelo perímetro do campo, o jogador sente-se vigiado nos 90 minutos, e nem os reservas e o técnico escapam.
Acontece que tal tecnologia – de um modo geral bem vinda, sem dúvida – acaba por tirar um pouco a graça do futebol, pois, queira ou não, intimida a qualidade dos jogadores, uns em maior e outros em menor grau.
Hoje, as promotorias públicas, as federações e seus tribunais de justiça desportiva andam à caça de jogadores que xingam adversários ou que fazem sinais chulos para a torcida. E tudo ostensivamente repercutido pela chamada crônica esportiva.
***
Xingar e fazer gestos obscenos sempre existiram dentro das quatro linhas. Aliás, fazem parte do jogo, porque quando 22 jogadores estão ali, correndo atrás da bola, encontram-se extremamente concentrados e sofrendo pressões de toda ordem. Por isso eu, sinceramente, acho atos do gênero perfeitamente natural e perdoável. Sim, perdoável! Xingamento no futebol não ofende a honra e nem a dignidade de ninguém.
***
E daí que um jogador xingou o outro? Quem não xinga? E daí que o cara gesticulou para a torcida? Quem nunca fez algo assim publicamente, ainda que de forma tímida, que atire a primeira pedra! E olhe a hipocrisia... Priiii, falta!!!
Xingar e gesticular durante uma partida são coisas de momento, depois que o jogo acaba e os excessos emocionais dos jogadores caem, tudo volta ao normal. Deixem pra lá, não há ofensas, nada.
***
O moderno futebol do Século 21 tira um pouco do clima, cerceia um pouco a alegria que abundava antigamente, nos saudosos anos 50 e 60. Daqui a pouco os promotores e a justiça desportiva vão ficar só por conta do BBBola e vão esquecer o mais importante: punir jogadores por praticarem lances realmente perigosos e que exclusivamente colocaram em risco a “integridade física” dos seus adversários. Deveriam se ater a isso, apenas, e não ficar procurando tolices que mais prejudicam do que contribuem.
O futebol, meu caro, não nasceu pudico, nunca foi um campo de moralismo ou um exemplo de recato para os desportistas e as pessoas. As intempéries morais, aí, fazem parte do jogo.
Por favor, preocupem-se com fatos mais importantes. Deixem a bola rolar e, bola pra frente!

Cuidado com a libertinagem de expressão

Ano eleitoral é o ano dos blogues terroristas, que mais prestam desserviço do que serviço. Muitos pseudoblogueiros se passam por jornalistas para servirem a interesses eleitoreiros, e quando se sentem ameaçados ou criticados evocam a decantada “liberdade de expressão” – que, nestes casos, traveste-se de “libertinagem de expressão”.
***
Com o advento do sempre crescente meio eletrônico e das inúmeras redes sociais da internet, a comunicação social ingressou numa séria crise existencial. Alguma ferramenta, eletrônica ou não, precisa se implementada para se exigir o mínimo de responsabilidade dos proprietários e dos editores destas mídias, sob pena de enveredarmos no suspeitíssimo buraco da contrainformação delinquente. (Se você me perguntar o que pode ser feito, não saberei te responder neste momento. Ainda estou formando opinião)
***
Há um projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados, assinada por Gerson Peres (PP-PA), que pode ser usado como marco desta discussão. Será, quem sabe, uma boa oportunidade para um amplo debate a respeito do uso dos blogues como meio de comunicação. É o fórum adequado. Espero que o deputado autor possa oportunamente promover uma importantíssima audiência pública a respeito antes de sua votação em plenário.
***
De qualquer forma, qualquer que seja a lei brasileira ou internacional que tente responsabilizar os blogueiros, ela não deve ter conotação de censura ou de perseguição política ou intelectual. Isto é primordial para a verdadeira e imperativa liberdade de expressão.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Se deseja algo que nunca teve,
faça algo que nunca fez.

HORA DO RECREIO

video

Lupion “desdesdesiste” do Senado...

Agora é oficial: o deputado federal Abelardo Lupion (DEM-PR) desistiu da sua pré-candidatura a senador. Saiu em primeira mão no twitter do deputado federal Alex Canziani (PTB) e no blogue “Paçoca com Cebola”.
O anúncio foi feito durante a reunião da Associação dos Municípios do Norte do Paraná (Amunop), realizada hoje de manhã em Santa Mariana.
***
Se voltar atrás de novo, desmentindo o anunciado, Lupion terá que se explicar para 50 testemunhas que estavam presentes no evento, inclusive para alguns radialistas da região que foram cobrir o encontro. Sua declaração foi feita de público, ao microfone.
De quebra, lançou seu filho Pedro pré-candidato a deputado estadual. Antes, este “concorria” a federal, no lugar do pai.
***
Agora, falta o também deputado federal Ricardo Barros (PP) desistir do sonho senatorial. Aguardemos.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Mídia para a Paz

Olhe aí um tema legal para ser discutido por jornalistas e empresas de comunicação de Londrina e região: “Trabalhando por uma mídia para a Paz”. O título faz parte da 2ª Pré-Conferência de Cultura de Paz, que será realizada nesta quarta-feira, dia 28, pelo Conselho Municipal de Cultura para a Paz (Compaz) e pela Secretaria Municipal de Educação de Londrina. Será às 19h30, na Faculdade Pitágoras, situada na rua Edwy Taques de Araújo, n° 1.110.
***
A palestra será ministrada pela jornalista Rosa Alegria, que vai tratar como a mídia aborda a violência; a necessidade em mudar o foco da notícia, e qual a responsabilidade dos meios de comunicação nas veiculações de informações sobre violência.
***
É verdade! Os programas policiais de TV e rádio precisam ser totalmente revistos. O mundo-cão deve ser mais humanizado, até para se mostrar, melhor, a realidade dos fatos.
***
Durante o evento será lançado o site www.midiadepazparana.org.br. O presidente do Compaz, Luis Cláudio Galhardi, explicou que o endereço será uma alternativa de informação com uma abordagem mais humana e positiva diante de situações de violência e catástrofes.
Os interessados em participar da pré-conferência devem se cadastrar no site www.londrinapazeando.org.br, ou no dia, antes de começar a palestra. A entrada é franca.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Londrina expõe sujeira. Que bom!

Viajando outro dia para uma cidade do interior de São Paulo, um pessoal, com ar debochado, perguntou-me por que Londrina tem tantos escândalos políticos, e se isso não vira motivo de chacota e de piadinha na região.
Disse que Londrina é igual a todos os lugares do mundo. A diferença é que, a despeito de alguns exageros, em Londrina temos uma promotoria personalista e publicitária (mas ao mesmo tempo bastante atuante) e alguns veículos de comunicação fortes e vigilantes.
É uma pena – disse a eles – que nem em todo lugar a gente vê congruências positivas como a da promotoria/imprensa, onde a sujeira é exposta e debatida. Londrina é assim, que bom!
Em outros lugares, a sujeira também é feita e escondida debaixo do tapete sem que nunguém se prontifique a limpar.
***
Todos murchos, não houve contraponto de ninguém.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

HORA DO RECREIO

video

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Agora, o eleitor ficha limpa

O projeto do Ficha Limpa realmente pode ajudar a amenizar os casos de corrupção no meio político. É uma forma, justa e democrática, de barrar os mal-intencionados.
Pois bem, agora eu ouvi no rádio, dia desses, a tese de um ouvinte sobre a questão dos “eleitores” ficha limpa. Isso mesmo: segundo a tese, só deveria votar em candidatos fichas-limpas quem for eleitor ficha-limpa.
***
Ainda não avaliei o comentário inusitado do ouvinte, para quem não tem sentido “bandidos” votarem em “mocinhos”. Para ele, a lei deveria ser isonômica, ou seja: se só pode candidatar-se quem não tem ação na Justiça, só pode votar quem também não tem ação na Justiça...
***
Taí um assunto que poderia ser melhor aprofundado pela mídia, que é o meio unificador das massas.

Não sei se a tese está certa ou não, mas no mínimo dá uma boa discussão, afinal, argumenta o ouvinte proponente, o caráter dos eleitores é que faz o caráter dos políticos. Pessoas judicialmente idôneas só podem ser eleitas por pessoas igualmente idôneas. Hummm...

terça-feira, 20 de abril de 2010

Fernando & Felipe

E começou o adoçamento da mídia brasileira em cima do Felipe Massa, que perdeu a posição para o Alonso na última corrida de Fórmula 1, na China. Agora, boa parte da imprensa, inclusive a Globo, insinua que o brasileiro foi “tapeado” pelo espanhol na entrada dos boxes. A emoção fala mais alto que a razão.
***
Ora, gente: o Fernando sempre foi melhor que o Felipe. Sobra nele o que falta no outro: agressividade e impetuosidade.

(FOTO: globoesporte.com)

Lupion "desdesiste" do Senado...

Agora o Lupion diz que não, que continua candidato ao Senado. Ele desmente a informação que circulava hoje de manhã, de que tinha desistido e iria concorrer à reeleição de deputado. Tá bom.
***
Enquanto isso, parcela da mídia joga holofote em cima. É publicidade, né?
Leia mais aqui.

HORA DO RECREIO

video
Só porque ninguém está ouvindo não significa que não deva ser dito.

Shugueki

Lupion "desiste" do Senado...

Aconteceu o que eu já tinha previsto aqui. O deputado federal Abelardo Lupion abriu as cartas e vai mesmo ser candidato à reeleição.
***
Não é novidade. Novidade seria Lupion ser realmente candidato a senador. Outra surpresa seria ver a grande mídia abordando, meses atrás, a sua suposta e pretensa candidatura ao Senado.
Leia mais no Fábio Campana.

domingo, 18 de abril de 2010

Diferenças

Como diria o meu ex-professor Ivan, de Semiologia, faça uma análise subliminar das duas capas abaixo:




sábado, 17 de abril de 2010

HORA DO RECREIO

video

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Investigação nativa

A Folha de Londrina e a sua repórter Janaína Garcia abriram hoje mais uma denúncia na área política londrinense, agora envolvendo o vereador petista Jacks Dias.
***
Já elogiei o trabalho da Janaína antes e volto a elogiar. Na verdade, acho que ela e o jornalista Fábio Silveira, do JL, são, hoje, os novos bastiões do atual jornalismo investigativo londrinense. Que eu me lembre, o último do gênero havia sido o Walter Téle, hoje prestando grandes serviços em Maringá – mais um aspecto positivo perdido para a Cidade Canção...
***
Fábio e Janaína são colegas, amigos, e realizam uma saudável concorrência no ramo do jornalismo político investigativo, e cada vez estão melhores. Já percebi que, quando um publica uma denúncia, o outro não demora muito para publicar a sua também. É um jogo de xadrez - cada um faz um lance por vez.
***
Esta semana foi a vez da Jana, e com certeza o Fábio gremista vai "vingar".

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Gripe A: enfim, alguém entendeu

A 2ª Vara Federal de Curitiba determinou que Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde vacinem toda a população do Paraná. A Justiça atende ao pedido do Ministério Público Federal de Curitiba, que havia entrado com uma ação civil pública dia 25 do mês passado.
***
Trata-se de justiça. Justiça! Os argumentos técnicos do MPF são extremamente precisos ao mostrar que o Estado é, proporcionalmente, o mais vulnerável do país, a julgar pelos números de contágios paranaenses verificados no ano passado, quando morreram cerca de 290 pessoas.
***
O MPF usou comprovantes técnicos valiosos para justificar o seu pedido. A tese poderia, inclusive, ser enriquecida com o argumento do direito constitucional: todos são iguais perante a lei e a saúde é um dever do Estado, portanto, TODOS os cidadãos devem ser vacinados!
***
Eu mesmo, como cidadão, cheguei a abordar a questão constitucional, inclusive cobrando de alguns veículos de comunicação de massa uma postura mais incisiva a respeito. Também detalhei os argumentos para dois advogados amigos meus, na esperança de que eles tomassem a iniciativa de abrir um procedimento judicial. Seriam os primeiros a alardearem a justa causa.
Também tentei sensibilizar um dos vereadores londrinenses para que fizesse algo de concreto, a nível parlamentar, mas também não deu muita bola. Precisou um outro vereador, Joel Garcia, tomar a imprescindível iniciativa e apresentar um projeto de lei obrigando a vacinação de todos os londrinenses.
***
Por outra via, procurei o Ministério Público Federal de Londrina. Ali, eles também desdenharam, assim como a própria Promotoria Pública local, que disse que não era um caso para ela trabalhar. (putz, estou sem moral mesmo... rsrs) Foi tudo em vão!
***
Não sei se foi preguiça ou não, se foi falta de tempo ou não, ou se foi falta de interesse mesmo, mas o fato é que todos eles perderam a oportunidade profissional e política de saírem por cima do assunto. Paciência, né?
***
Pode até ser que a liminar expedida pela Justiça, para que a Secretaria de Saúde vacine todos os paranaenses, seja cassada pelo governo, mas mesmo assim eu estou feliz e satisfeito.

Parabéns, pois, à procuradora da República no Paraná, Antonia Lélia Sanches, à juíza Gisele Lemke e também ao vereador Joel Garcia por terem compreendido e aceitado a causa. Somente pelas suas ações, já valeu!

"Naturalmente podemos errar, mas jamais podemos deixar de tentar."

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Articulistas picaretas

Como tem jornalista pilantra nesta país, não? Da boca deles só sai m....


Muitos destes, aliás, carragam nas costas inúmeros, centenas, de processos por danos morais, e ainda assim muitos periódicos infelizmente continuam aceitando publicar as suas produções antiéticas, através de colunas assinadas. E por um motivo muito simples: vendem jornais.
***
O povo, hipócrita por natureza, gosta de ver fofocas infundadas. Dá audiência, ibope.

sábado, 10 de abril de 2010

Direito tem quem direito anda.

João Fonteles

quinta-feira, 8 de abril de 2010

HORA DO RECREIO

video

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Divisor

Vou "emprestar" o belo artigo do colega Carlos Arruda (www.nomomento.jor.br) sobre a série "Arquivos Secretos", da RPC e Gazeta do Povo. Muito boa a análise, e corrobora com aquilo que já escrevemos aqui.
***
E o Carlão, como sempre, bem preciso nas palavras. Valeu!!

-oOo-

Um Divisor

A série de reportagens da Gazeta do Povo sobre os Diários Secretos da Assembléia, revelando a contratação de funcionários fantasmas, desvios de salários, e ocultação de atos oficiais é um feito notável na história de nossa imprensa – mas obteve na mídia, no mercado onde atua, uma repercussão aquém de sua importância.

As reportagens, demolidoras, colocaram no centro das atenções Abib Miguel, uma figura de comportamento discreto e de extrema confiança dos presidentes da Casa desde os tempos de Aníbal Khury, o Onipotente. Abib pediu afastamento do cargo de diretor-geral da Assembléia e foi a primeira baixa de peso do esquema, seguida de outros dois diretores que atuavam sob suas ordens.

Como acontece nessas ocasiões em que um míssil da imprensa atinge o cerne de uma tramóia política os céticos que dão plantão na côrte levantaram as perguntas e desconfianças de praxe: Por que a Gazeta fez isso? Será que a Gazeta esqueceu que também tem seus esqueletos no armário? É uma briga pessoal entre herdeiros da plutocracia e a elite das famílias que mandam politicamente no Paraná? Será uma tramóia da Opus Dei (organização católica a qual pertence o diretor da Gazeta Guilherme Cunha Pereira)? Qual o interesse em espremer este furúnculo?

A Gazeta, isto é notório, cresceu à sombra dos interesses oficiais. Não perturbar o Poder era o mantra preferido do empresário Francisco da Cunha Pereira. Com sua morte, os filhos Guilherme e Ana Amélia, nota-se, procuram modernizar as relações do jornal e aproximá-lo ainda mais da comunidade, um esforço que exige perseverança e investimento.

A nova postura implica em manter um olhar mais vigilante e crítico sobre os poderes constituídos e, suportar, eventualmente, entrechoques, rupturas, mágoas de segmentos, desaforos, briga com antigos aliados, novas alianças, contradições – aqueles sentimentos que o dr. Francisco dissimulava com maestria - e que compõem a substância do jornalismo.

A imprensa é política e o jornal é o seu profeta - dizia um antigo escritor que fundou, afundou e refundou muitos jornais em sua vida meteórica e prolífica.

Como nasceu a reportagem dos Diários Secretos? Os caminhos, dentro de uma redação, são tantos que uma pauta pode ser construída vagarosamente, ou então brilhar, súbita, cristalina, fruto de uma denúncia, uma constatação óbvia, um racha de interesses, um fôlego de cidadania, uma observação perspicaz e óbvia de um novato, o sentimento ferido de um desafeto, a ousadia a la Danton de um editor auto-confiante, um chefe distraído que se deixou convencer pela equipe cansada de subterfúgios, um jornal que resolveu lucidamente fazer história.

Não importa. A reportagem da Gazeta é um divisor de águas, e pobres ficaram os demais jornais do Paraná que por despeito ou visão antiquada das nuances que tecem o mercado e a concorrência, perderam uma ótima chance de repicar o assunto, de também ir atrás do fato (que não tem dono), de tentar uma abordagem própria e fazer novas e aprofundadas investigações, mostrar um outro ângulo, caçar testemunhos eloquentes. Enfim, respeitar o seu leitor. Isto não foi feito.

A Gazeta ficou sozinha, por isso merece todos os louros da façanha.

A criação de um selo exclusivo, a organização do assunto em capítulos; um levantamento das principais perguntas que não receberam esclarecimentos factíveis; a indicação de soluções através de especialistas no assunto – são exemplos de bom jornalismo, que, ao longo da publicação, foram acrescentados para facilitar o entendimento do leitor, passando a idéia de planejamento e pesquisa, o que não evitou pequenos escorregões no início; felizmente, eles não comprometeram o conteúdo final.

A reportagem da Gazeta desnorteou o presidente Nelson Justus e invalidou totalmente suas intenções de injetar seriedade no velho discurso da moralidade que ele sacou mais uma vez: “agora é pra valer, vamos cortar na própria carne, vamos organizar a casa etc e etc...). Mais do que isto, ajudou a inaugurar um tempo novo na burocracia do poder. Isto também significa problemas novos - mas aquela fase carcomida de balcão de açougue sem inspeção sanitária onde uma instituição promove seu festival de prebendas, sinecuras e dádivas à custa do orçamento, ah, isto foi formidávelmente exposto à luz do sol - que a natureza o guarde sobre todas as coisas - e o sol, grande astro - que a benção de Deus esteja sobre ele - ainda é o melhor purificador.

sábado, 3 de abril de 2010

Censura vale a pena?

Uma pergunta: o fato de o “Estadão de S. Paulo” estar há 246 dias sob censura – tanto tempo assim – não acaba depondo contra o próprio jornal?
***
O tradicional impresso de São Paulo, dos mais conhecidos do país, alardeia e usa a censura como autopromoção, mas eu tenho a impressão de que esta campanha tem limite, só vale até certo ponto. Depois de 200 dias, não sei não, acho que campanha pela autovalorização cai no descrédito.
Daqui há pouco o jornal vai comemorar "dez anos" de censura enquanto os concorrentes estão livres, e aí? No mínimo, o valor moral da censura perde a graça.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Parabéns, Governador!

A edição de hoje da Tribuna do Norte de Apucarana, no Vale do Ivaí, virou “especial”. É que pelo menos 17 prefeitos e prefeituras da região publicaram mensagens parabenizando o novo governador do Paraná, Orlando Pessuti.
***
Tá certo que o departamento comercial do jornal trabalhou bastante, mas vale lembrar que o Governo do Estado também leva com cabresto curto as prefeituras do interior. E ai daquela que sair da linha...

quarta-feira, 31 de março de 2010

HORA DO RECREIO

video

terça-feira, 30 de março de 2010

Que haja transformação, e
que comece comigo!

Marilyn Ferguson

sábado, 20 de março de 2010

É preferível saber poucas coisas muito bem a saber muitas coisas muito mal.


Cid Cercal

quinta-feira, 18 de março de 2010

A RPC e os diários secretos

A Gazeta do Povo e a RPC dão um exemplo de bom jornalismo ao publicarem a série “Diários Secretos”, sobre os causos da Assembleia Legislativa do Paraná. Acho até que esta pauta deveria ser motivo de debates e ser dirimida nos cursos de jornalismo do país.
***
E eu continuo torcendo para que os seus concorrentes, na TV e nos jornais, sigam pelo mesmo caminho. Alguns, aliás, têm que mudar tudo, inclusive de princípios.
***
Parabéns ao pessoal das duas redações! E vamos acompanhar.

sexta-feira, 12 de março de 2010

HORA DO RECREIO

video

quinta-feira, 11 de março de 2010

Pesquisas?

E começaram o desfile e a chuva de pesquisas eleitorais nas páginas dos jornais, que tradicionalmente acontecem nesta época, a cada dois anos. De um modo geral, pesquisas nesta altura do campeonato são, de certa forma, suspeitas, e servem mais para pautar a imprensa, naturalmente sedenta de assuntos políticos.
***
Muita gente gosta de dizer que as pesquisas são a “fotografia” do momento, mas, sinceramente, duvido. Está mais para demagogia, para retóricas e para lapidação de discursos.
Pesquisa boa e verdadeira costuma sair duas semanas antes das eleições.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Criar é dar forma ao próprio destino.

Albert Camus

terça-feira, 9 de março de 2010

A gripe dos excluídos

Não me conformo com o fato de o governo disponibilizar apenas a metade das vacinas da Gripe A. Todos os brasileiros têm direito à dose, pois é o caso de enfrentarmos uma nova e provável pandemia!
***
Espero que a imprensa acorde para este fato. Até agora ninguém se tocou desta irregularidade constitucional.

Leia abaixo o que acho a respeito:

A Gripe A e o grito dos excluídos

O Ministério da Saúde está vacinando menos da metade da população brasileira, que hoje conta 192 milhões de pessoas. Uma das alegações para não imunizar todo mundo, de graça, é que não se comprou a quantidade de doses necessárias para tal, e por isso vai atuar na vacinação de 91 milhões – todas consideradas de certo risco. Em outras palavras: o governo quer debelar a gripe suína nos grupos de risco, mas ao praticá-la paradoxalmente cria novos grupos de risco, porque quem não for vacinado evidentemente correrá risco de pegar a temida gripe.

Só para constar, o MS adquiriu 113 milhões de doses a 1 bilhão e 300 milhões de reais. É um valor insignificante, considerando a alta virulência desta gripe. Também é um valor “bobo” para o nosso Governo, já que ele mesmo está ajudando a garantir a saúde de cidadãos de outros países, como o Haiti, Venezuela, Chile, Cuba e Bolívia.

A Constituição Federal diz que todos são iguais perante a lei e que a saúde deve ser garantida pelo Estado a todo cidadão brasileiro. Pergunto: onde está o cidadão brasileiro que não foi incluído em nenhuma das etapas de vacinação? Por que as pessoas de 2 a 19 anos não foram incluídas, justamente elas que estão em idade escolar e, por isso mesmo, frequentam ambientes altamente propagador da gripe? (de que adiantou, então, fecharem as escolas no ano passado no período agudo da doença? Não é uma contradição?) Por que as pessoas de 40 a 59 anos também não foram incluídas, justamente elas que ainda estão na fase produtiva da vida? A força de trabalho deste país, afinal, vai dos 18 aos 60 anos, é ou não é?

Assim, o Ministério da Saúde, com o aval do Governo federal, está criando o “Grupo dos Excluídos”, pessoas de bem, cidadãs brasileiras, que estudam, que produzem, que pagam seus impostos, que se preocupam com o social.

Erraram o foco. Só falta agora criarem o “Bolsa Vacina” e o “sistema de cotas” na imunização.
Presidente Lula, fazemos um apelo: com apenas mais R$ 1 bilhão dá pra garantir a vacinação de toda a população. Invista mais e faça valer, na prática, o lema de seu governo, afinal, o Brasil é um país de todos.

Marcelino Jr.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Admito errar, todo mundo erra.
O que eu não admito é não tentar.

Michael Jordan

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

HORA DO RECREIO

video

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Ser ou não ser?

Eis a questão: os deputados federais paranaenses Abelardo Lupion (DEM) e Ricardo Barros (PP) propagam que serão candidatos a senador. É louvável, eles têm direito, mas eu poderia apostar que, na verdade, serão candidatos à reeleição. Posso queimar a língua, mas...
***
A imprensa política do Estado poderia aprofundar mais neste tema. Um dos lances em marketing político é justamente jogar o nome e o pretenso cargo na mídia bem antes do pleito para valorizar o passe na hora das convenções partidárias, em junho.
Nos dois casos mencionados, pode ser que sim, pode ser que não, mas veremos.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Julgue um homem pelas suas perguntas, não pelas suas respostas.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

50ª Exposição

Vai ter exposição de novo. Em abril teremos a "50ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina", festa tradicional e uma das mais conhecidas da cidade e região.

O evento é tão impressionante que mobiliza quase que integralmente a imprensa londrinense.
***
Gostaria de saber o que teremos de novidade este ano, de realmente diferente, coisa que nunca foi mostrada nas exposições anteriores. Se você souber, me mostre.

Enquanto isso, leia o que eu já escrevi sobre a feira.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

HORA DO RECREIO

video

Carnaval campeão

Depois de amanhã começa a maior festa popular do mundo: o Carnaval brasileiro, e se há algo que funciona na mídia nacional é a divulgação dos desfiles.

O carnaval é o maior cartão-postal brasileiro. Comprovei isso quando estive no México, em janeiro.
***
Eu e meus primos fizemos, involutariamente, uma enquete com os mexicanos. Perguntamos pra eles o que vem à memória quando se fala do Brasil. No resultado final, não deu outra:

1º lugar = Carnaval
2º lugar = Mulheres
3º lugar = Futebol

É assim lá, e no mundo.
Os defeitos dos outros não devem nos incomodar, mas sim nos ensinar.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Sem mimos, por favor!

Dia 14 de março começa a temporada de Fórmula 1, e a Globo novamente tem a exclusividade da transmissão para o Brasil.
***
Torço para que chegue o dia em que o Galvão Bueno e a direção de Esportes da rede não "mimem" tanto os pilotos brasileiros. Muita gente gosta, faz massagem no ego, no orgulho verde-amarelo, mas o fato é que tanta promoção e fabricação de idolatria não produzem algo de efetivo. A única exceção foi o "Ayrton Senna do Brasiiiill!!!"
***
Do Ayrton para cá o nosso automobilismo não produziu mais craques - em que pese a insistência da Globo. Barrichello e Massa são bons pilotos, apenas. Vamos ver agora o Di Grassi e o próprio sobrinho do campeão, Bruno Senna.
Aos dois primeiros, falta aquilo que sobrava no saudoso Senna: agressividade e impetuosidade. Mas... vamos ver.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Prá frente, Brasil!

Eu não tenho dúvidas: se o Brasil ganhar a Copa da África do Sul, a conquista vai virar mote da campanha da candidata governista Dilma Rousseff.

Lula faria as honras recebendo a delegação campeã, no retorno, tal como fez presidentes passados, e o evento seria exaustivamente explorado. O canal principal seria a grande mídia, claro!
***
Orgulhosamente - ou ironicamente? - são poucos os presidentes mundiais que têm esta oportunidade de lincar a política com o futebol, e pelo que eu sei essa jogada de marketing surgiu aqui mesmo, em 1970, durante a ditadura militar do Médici.
O Brasil tri no México foi um prato cheio para a ditadura.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

HORA DO RECREIO

video

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Voltandoooo de novo...

Que peninha, mas acabaram as férias! Estamos de volta, e renovado.
***
O México valeu muuuito a pena. Depois, demos uma esticada no Hopi Hari e no Wet'n Wild, em Campinas, e também no Guarujá, litoral paulista. Muito bom! As crianças adoraram.

A família, cara, é muito importante!!

domingo, 10 de janeiro de 2010

Pouco conhecimento faz com que as criaturas se tornem orgulhosas. Muito conhecimento, que se tornem humildes.

Leonardo Da Vinci

FÉRIAS!!!

Agora, uma paradinha para as férias. E com a família, o que é melhor ainda.

Vamos dar uma esticada até Cancún, no México. É um tipo de viagem que a gente só faz uma vez na vida, e olha lá.

Estaremos de volta até o final do mês.

Tchau!!

sábado, 9 de janeiro de 2010

HORA DO RECREIO

video

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Pegando no pé de todos

Neste sábado a Paiquerê AM faz o seu tradicional “Rádio Opinião” entrevistando o senador Álvaro Dias (PSDB).
***
É importante entrevistas solos como estas, pois é uma oportunidade de se explorar melhor as ações e as não-ações dos políticos, individualmente. Com certeza, até por questão ética, a Paiquerê planeja uma série de entrevistas com os demais senadores, dando oportunidade também a Osmar Dias (PDT) e a Flávio Arns (PSDB).

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Maomé vai à montanha

A mídia brasileira, seja grande ou média, deu grande espaço para o trágico desmoronamento de Angra dos Reis, no Rio. Como de praxe, a imprensa critica muito os políticos pela falta de ações preventivas, e pouco a ignorância da própria população, que se instala nos pés dos morros moribundos sem se preocuparem com a própria vida.
***
De fato a classe política é a maior responsável pela situação, pois fazem "vistas grossas" para tais ocupações, não fiscalizam, em alguns casos liberam o "habite-se" sem qualquer comprovação técnica e até estimulam certas construções por questões eleitoreiras, mas o povo também tem a sua parcela de responsabilidade.
A desculpa de que a condição social dos miseráveis não lhes permite outro local para construir e morar, não procede, pois este imenso país não é feito só de sopés.

Voltamos!

Nessa minha grande ausência peguei alguns frilas novos e aproveitei para reorganizar minhas atividades, afinal, é ano eleitoral – coisa que gosto de trabalhar.